Relatos 03: Por que Aspergers são considerados estranhos?

Relatos 03: Por que Aspergers são considerados estranhos?

Há algumas semanas demos inicio a nossa coluna de relatos a qual convida pessoas que convivam diariamente com o Asperger em suas vidas falem um pouco sobre como é a lida com esse transtorno que é tão pouco conhecido pela população em geral.

Nunca é demais lembrar que nos dias atuais a Síndrome de Asperger é considerada o grau mais leve dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEA) e tem como suas principais características dificuldades na interação social e ainda algumas dificuldades motoras.

No entanto estas pessoas podem levar uma vida bem semelhante aquilo que a população em geral considera como uma vida comum, bem, abaixo iremos acompanhar o relato de “Calli”.

Sabe, eu costumo dizer para as pessoas que tem curiosidade, que ser aspie só é estranho porque vivemos em um mundo moldado por e para NTs. Fazem muito barulho por todo lado, gostam de luzes e cores fortes, suas emoções são gritantes e as demonstram com facilidade, muito sentimentalismos e também costumam gostar muito de toques, tocar aos outros. Isso tudo não faz muito sentido para mim, e algumas coisas são bem incômodas. Talvez se trocassemos os papéis, e a maioria fosse aspie, os NTs se sentiriam tão deslocados quanto nós. Mas as coisas são assim e quem foge do padrão tem que se adequar a ele. Agora que sei do meu diagnóstico, não tento mais esconder muito quem sou e como interajo com o externo. Mas antes eu adotava uma máscara social, e isso era um caos. Eu tentava fingir que aquela música alta na festa era agradável, e que adorava quando me abraçavam sem um aviso prévio…fui me esquecendo quem eu era por tentar me enquandrar. Hoje não faço mais isso, exponho como funciona minha mente. E o interessante é que apartir do momento em que se tem ao lado pessoas compreencivas, que estão dispostas a ouvir e aceitar, tudo se torna mais fácil. Meu maior problema sem dúvidas é a falta de inteligência social. Iniciar, manter e terminar uma conversa é bem difícil. Saber quando falar, quando não falar, o que dizer, se deve rir ou ficar séria, se é pra ajudar ou se já é hora de ir embora…coisas que para a maioria são respostas que vem de forma natural, para mim não, o que me gera uma ansiedade gigantesca. E quando tenho alguém que conhece das minhas condições, fica mais simples pergunta-la “devo dizer tchau agora?” sem que seja extremamente estranho. Acho que gosto de ser aspie, apesar de tudo, eu sou uma pessoa normal. E eu diria que o Asperger me traz mais coisas positivas do que negativas. Eu só preciso de pessoas certas e lugares certos.

FernandoAzevedo