Como as séries e filmes com ‘super autistas’ podem ser um problema para quem tenha o transtorno na vida real

Como as séries e filmes com ‘super autistas’ podem ser um problema para quem tenha o transtorno na vida real

Séries e filmes com personagens ‘super autistas’ dividem opiniões e podem ser um problema na vida de quem realmente lide com o transtorno

A cada ano que se passa, mais e mais produções de cinema e produções televisivas tem tentado incluir em suas histórias personagens que representem algum grupo da sociedade que em sua maior parte do tempo, são sequer vistos pela sociedade que os cerca.

E quando são vistos, por vezes, são julgados e vítimas de preconceitos que acabam tornando a vida destas pessoas bastante difícil.

Um destes grupos que quase não é visto pela sociedade é aquele formado por pessoas que tenham em suas vidas algum grau dos Transtornos do Espectro Autista (TEA), esse grupo de pessoas em especial, nos últimos anos tem se tornado figuras constantes em produções de ficção.

Mas será que essa dramatização do transtorno pode ser uma vantagem para quem o tenha na vida real?

Como os autistas são representados na ficção?

Grande parte dos personagens autistas presentes em produções recentes como séries e filmes são quase que seres super-dotados que possuem algum talento especial que quase os torna pessoas que possuem algum poder sobrenatural, esses ‘super autistas’ acabam gerando uma ideia pouco real sobre o autismo em toda sua essência.

Isso porque, a abordagem dada pelas produções tendem a usar características bem sutis presentes na vida de quem tenha algum grau de TEA.

Ou ainda tendem a introduzir características que não são presentes em todos os autistas, mas que ali, na obra apresentada, é tratado como se todo autista possui-se tais características.

Com tudo isso, a ideia de inclusão para pessoas com TEA, acaba indo por água a baixo, uma vez que as figuras ali apresentadas não são exatamente como os autistas são no mundo real.

Algo que pode criar uma figura irreal sobre o autismo e ao invés de ajudar com que essas pessoas sejam melhor recebidas pelas outras, criar um efeito adverso e fazer com que elas sejam ainda menos aceitas como pessoas que podem e devem ter seu espaço em meio a sociedade.

Para você, as séries e filmes com personagens autistas, deveriam criar personagens com outras características e peculiaridades do transtorno? Ou os ali apresentados, já dão uma ideia chave sobre como os autistas são, mesmo que sejam apresentados com uma figura bastante estereotipada? Deixe seu comentário abaixo!!!

FernandoAzevedo