Como é a infância de um Asperger?

Como é a infância de um Asperger?

Foto: Ilustrativa!

Como é a infância de um Asperger?

Esse tema já foi abordado aqui no blog em um artigo que falava um pouco sobre o Asperger na infância!

Desta vez, porém irei usar um caso particular para embasar aquilo que será dito neste artigo!

A infância de um Asperger é uma fase bem conturbada, isso porque é neste período que o individuo tem seu primeiro contato com o mundo externo.

Poderia dizer que é na infância que um Asperger começa a notar que não seja igual, ao resto das pessoas do mundo!

Isso porque logo em seus primeiros anos de vida, essas pessoas tendem a terem comportamentos bem diferentes das demais crianças.

Muitas vezes acabam sendo julgados como crianças mimadas, ou coisas do gênero por sempre quererem tudo de seu jeito.

Outro ponto interessante na infância de uma criança Asperger é o fato destas terem grandes dificuldades em se enturmar com outros de sua idade. É neste ponto que o Asperger passa a descobrir por si só que é “diferente”, do resto do mundo!

A infância destas pessoas tende a ser um tempo de descobertas e aprendizado, não que seja algo exclusivo dos mesmos.

Mas ainda sim é algo relevante, as descobertas deles podem ser bem diferentes das feitas por crianças tidas pela sociedade como sendo “normais”.

Um grande exemplo disso é que uma criança Asperger pode ser capaz de aprender a ler com apenas 3 anos de idade, porém ainda pode ter grandes dificuldades de se comunicar de maneira clara!

Fora os interesses fora do comum que costumam ter, desde o inicio de suas vidas!

É tudo isso que torna a infância de um Asperger tão diferente das demais crianças, posso dizer que é um período conturbado!

No qual o  Asperger passará a se julgar por ser diferente, um grande conselho que deixo por aqui é que a família tente estar o mais presente possível neste período de descobertas de seus pequenos que são “diferentes” da maioria!

FernandoAzevedo

3 comentários sobre “Como é a infância de um Asperger?

  1. Boa postagem! Tentei proporcionar ao meu filho (asperger) boas experiências, mas devo admitir que foi um período em que a família teve de ajustar-se e inventar um jeito de prosseguir, quando eu mesma não tinha aprendido a lidar com estas diferenças.

Comentários estão encerrado.