Comecei um relacionamento, devo contar sobre o Asperger?

Comecei um relacionamento, devo contar sobre o Asperger?

Foto: Divulgação

Comecei um relacionamento, devo contar sobre o Asperger?

Hoje iremos falar sobre um assunto que talvez seja uma das maiores dificuldades que uma pessoa que tenha a Síndrome de Asperger em sua vida, pode vir a enfrentar!

Nunca é demais lembrar que a Síndrome de Asperger nos dias atuais é conhecida como sendo o grau mais leve dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEA).

Suas principais características se dão por dificuldades na interação social e ainda alguns problemas motores.

Fora isso, tais pessoas podem levar uma vida bem próxima do “normal”. Mas, voltando ao assunto que é nosso tema de hoje, relacionamentos é um assunto difícil na vida de muitos Asperges mundo a fora.

Talvez pelo fato de terem dificuldades em interagir com o mundo ao seu redor, seja um fator determinante para tal dificuldade existir.

Mas e se por ventura, o Asperger conseguiu quebrar todas as dificuldades encontradas para buscar um relacionamento e finalmente conseguir entrar em um com outro alguém?

Ele deve contar para a outra pessoa sobre o Asperger? Parece uma pergunta bem sem sentido, não?

Afinal de contas pessoas que tenham o Asperger em suas vidas, costumam ter gostos bem peculiares, que os tornam diferentes da grande maioria das pessoas ao redor do mundo!

Porém, muitos podem serem vistos pela sociedade apenas como pessoas com uma personalidade excêntrica, muitos, inclusive nem sequer sabem sobre o Asperger em suas vidas.

Tamanha é a dificuldade para conseguir o diagnosticar, já que em teoria, as pessoas que tenham Asperger podem ter uma vida “normal”.

Só que e se essa normalidade, fizer com que o Asperger vença as barreiras que o transtorno o impõe, e assim o mesmo venha a ter um relacionamento?

Será o mais sensato dizer logo de cara para a outra pessoa que ele sofre com um transtorno, do qual ainda é pouco conhecido pela maioria das pessoas ao redor do mundo?

E se ele o fizer, qual será a reação da outra pessoa ao ter essa nova informação em suas mãos?

São perguntas como essas que acabamos de fazer, que alguns indivíduos que tenham o Asperger em suas vidas se fazem, quando entram num relacionamento amoroso.

Contar ou não contar sobre o transtorno? Para alguns o melhor caminho pode ser revelar tudo de uma vez, afinal de contas ficaria mais simples explicar todas suas excentricidades, se comparadas com o resto das pessoas do mundo.

Mas para outros, isso seria uma grande chance de vir a perder a pessoa amada, tudo pela falta de conhecimento sobre o tema!

Vale lembrar que atualmente, muita gente ainda vê o autismo como um transtorno que torna quem o possua, um “invalido”, algo que sabemos bem que não é a verdade!

Diante de tudo isso, encerramos esse artigo aconselhando que caso esteja vivendo tal dilema abordado por aqui, modere os prós e contras de contar para a pessoa sobre o Asperger.

Talvez, o melhor caminho seja ir revelando aos poucos! Ou talvez contar tudo de uma única vez, se a pessoa de fato gostar de você, ela te entenderá.

O fato é que acima de tudo isso, você mesmo precisa estar confiante o bastante para tocar neste assunto!

Pode ser que o melhor caminho, seja aquele que você deixe a pessoa te descobrir por si própria. Seja qual for sua escolha, busque ser feliz, sem se importar com os possíveis obstáculos que pode encontrar pelo caminho!

FernandoAzevedo