Por que autistas que descobrem o diagnóstico adultos temem divulgar a informação?

Por que autistas que descobrem o diagnóstico adultos temem divulgar a informação?

Muitos autistas descobrem o diagnóstico do transtorno apenas na vida adulta e acabam não divulgando para as pessoas que os cercam!

O assunto de hoje, trata-de um tema bem atual e que certamente nos fará refletir sobre. Desta vez, trazemos uma discussão sobre aquelas pessoas que viveram uma longa parte de suas vidas, sem saber exatamente, porquê, sempre foram diferentes das outras.

Algo que na maioria dos casos, fez com que a vida delas se tornasse ainda mais difícil do que já seria, caso soubessem exatamente o porquê de serem assim, tão diferentes do que é visto como ‘normal’.

As pessoas que descrevemos acima, são aquelas que descobriram o diagnóstico de autismo apenas na vida adulta.

O diagnóstico de autismo na vida adulta é bastante comum em pessoas que estejam no grau mais leve dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEA), isso pelo fato de sua identificação ainda não ser realizada de maneira simples pela falta de profissionais qualificados para identificar o transtorno que por vezes é confundido com outros transtornos neurológicos.

Além disso, ainda há o fato de que pessoas que tenham o autismo leve, em tese, levam uma vida bem perto do que é aceito pela sociedade, o que acaba fazendo que a grande maioria viva a vida toda e sequer saibam que tenham o autismo como parte de si.

Mas e quando o diagnóstico de autismo vem na vida adulta, o que as pessoas costumam fazer?

A grande maioria das pessoas que descobrem serem autistas, apenas após adultos costumam encontrar uma explicação lógica por sempre terem agido diferente da maioria das pessoas e acabam dando um novo sentido a suas vidas.

A sensação é de se descobrir finalmente quem você é de fato, no entanto, apesar desse encontro consigo mesmo, há algo que deixa essas pessoas bastante aflitas.

Trata-se do preconceito que ainda é muito disseminado em nossa sociedade, que ainda hoje, julga pessoas autistas como pessoas incapazes, que merecem unicamente compaixão e pena e podem ser um verdadeiro peso na vida de qualquer um que conviva com elas.

Tudo que acabamos de descrever acima, parece algo forte de se imaginar, mas é exatamente isso que quem tem preconceitos contra autistas pensa.

Geralmente as pessoas preconceituosas, não acham que autistas tenham chances de evoluir e se tornarem pessoas independentes e que agregaram a sociedade e acham que na verdade, te-las em suas vidas, pode ser um problema, já que o autista se tornará um fardo em algum momento.

Há ainda aqueles que são ainda mais radicais e veem autistas como pessoas contagiosas, as quais não merecem de jeito nenhum viverem em sociedade com as outras pessoas ‘normais’.

Fora tudo citado acima, ainda existe o receio que o diagnóstico de autismo possa afetar também a sua vida profissional, uma vez que ainda hoje, existem profissões que não aceitam pessoas que tenham algum tipo de deficiência, mesmo que ela seja mínima.

Tudo isso, corrobora para que o diagnóstico do autismo fique oculto apenas para o indivíduo que o possui, ou seja divulgado apenas há um grupo bem seleto e que seja de total confiança do autista que acaba de descobrir que o tem como parte de si próprio.

FernandoAzevedo