BREAKING NEWS

Como são as crises nervosas em um Asperger adulto?

Foto: Reprodução/Atypical

Como são as crises nervosas em um Asperger adulto?

Hoje irei falar em primeira pessoa, visto que aquilo que iremos discutir hoje, é algo que vivi e acho interessante de ser compartilhado!

Como todos já estão cansados de saber, o Asperger, hoje em dia é denominado como sendo o grau mais leve, dos transtornos que são parte dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEA).

Pessoas que o possuem, geralmente tem dificuldades em interagir socialmente, e costumam ser meio atrapalhadas, devido a alguns problemas com sua coordenação motora.

Com isso, pode ser dito, que um Asperger é um autista, com sintomas mais “suaves”, um dos muitos sintomas que esses indivíduos podem apresentar, é as temidas “crises nervosas”.

Em cada um, ela se manifesta de uma forma diferente, alguns podem ter ataques bem sérios, onde podem até mesmo agredirem pessoas á sua volta.

Geralmente estas crises nervosas, são mais presentes na vida de uma pessoa que tenha o TEA em sua essência, quando estão na adolescência e ainda em sua infância.

Só que engana-se aqueles que pensam que as crises nervosas, somem com a chegada da vida adulta, elas se tornam mais raras, mas podem aparecer sem que mostrem princípios de sua aparição.

Os motivos para tanto, seguem sendo os velhos conhecidos: sobrecarregamento com algum problema externo, dificuldades para lidar com criticas, e até mesmo problemas de saúde, ou ainda problemas com a vida afetiva!

A maior diferença nas crises de um Asperger adulto, para um adolescente, acredito eu, que é o modo que ele lida com a mesma.

Na adolescencia não temos noção da gravidades das coisas, tudo é mais intenso, e queremos mostrar ao mundo a nossa verdade.

Já adultos, precisamos nos ponderar mais, saber lidar com opiniões diferentes, ou seja, tentar viver em harmonia com a sociedade.

Só que nem sempre isso é possível, e como já citado anteriormente, as crises aparecem sem avisar, e foi isso que houve comigo, na semana passada.

Estava tudo seguindo maravilhosamente bem, até que fui verificar meu facebook, e vi um comentário de um membro de um dos grupos que participo, criticando o artigo que tinha feito naquele dia.

Naquele momento, algo que a muito tempo, estava escondido dentro de mim apareceu, e acabei explodindo, senti uma raiva gigante, e precisei responder ao comentário, de uma forma um tanto quanto agressiva.

Feito isso, segui minha rotina, mas continuava com aquilo na cabeça, no comentário feito no grupo, havia uma critica citando a ortografia do artigo, eu simplesmente não consegui sentir paz, com o fato de saber que estava errado.

Continuei minha rotina, jantei e um pouco mais calmo, busquei dialogar com aquele que comentou sobre o erro.

Ele não respondeu de imediato, mas depois se retratou e pediu desculpas a mim, eu tinha pedido desculpas antes, visto que minha explosão com seu comentário, foi indevida.

Só que como já citado, não dá para prever uma crise nervosa, o que dá para ser feito, quando adultos, é assumirmos nossos erros e buscar se desculpar com quem erramos.

Fiz isso, e busquei descobrir, os benditos erros citados pelo leitor, fiz as correções e tudo foi resolvido!

O que quero mostrar com esse artigo, é que por mais controlado que possamos estar, podemos vir a apresentar “desvios”, sem que ajam motivos fortes para isso.

E é por isso também que sempre bato na tecla que é importante que uma pessoa Asperger, seja educada como, um individuo “normal”.

Não sei se quando adolescente, e sem conhecimento sobre o assunto, eu teria tido a consciência de ver, que eu estava errado em meu descontrole.

A intenção deste blog, é a de buscar ajudar as pessoas que carreguem essa síndrome junto de si, a tornarem suas vidas mais simples.

Espero que tenham compreendido, aquilo que busquei expor aqui, e ao leitor que questionou sobre os erros do artigo anterior, volto a me desculpar publicamente, e a citar para que avise, sempre que ver algo errado.

Escrever é um dos meus focos, mas não tenho formação para isso, com isso, posso vir a cometer erros gramaticais, peço que corrijam, afinal o conteúdo é feito para todos!

« »
5 Comments

    Idehide Ribeiro

    dezembro 1, 2017 at 9:44 pm

    É necessário buscar ajuda médica se for preciso…..meu filho é asperger e toma medicação para não ter as crises….ele tem 32 anos.

    Willian

    dezembro 1, 2017 at 9:44 pm

    Meu filho tambem tem acompanhamento médico pisiquiatrico e toma medicação para que essas crises sejam menos intensas.

    Luciane Falcão

    dezembro 1, 2017 at 9:44 pm

    Seu artigo está muito bom e vc deve se orgulhar muito disso! Eu tneho um filho Asperger e seus artigos me ajudam muito a entender o comportamento dele e por ajodá-lo nesse momentos difíceis, que são parecidos com os seus.
    A possibilidade que vc nos dá de descrever suas sensações e a intensidade dos seus sentimentos, acredite, ajuda a muita gente. Fique com Deus!

      FernandoAzevedo

      dezembro 1, 2017 at 9:44 pm

      Fico feliz em ajudar!

    Leandro Rezende

    dezembro 2, 2017 at 9:44 pm

    Obrigado por sua iniciativa e coragem. Meu filho é Asperger (Lucas, 20 anos, universitário de Educação Física-UFSC) e seus textos nos ajudam a entender seu universo. Um abraço