BREAKING NEWS

Como é quando a família não aceita que o filho tem Asperger?

Foto: Reprodução/Serie Parenthood

Como será a vida de um Asperger, quando a sua família não aceita que o mesmo tem a Síndrome?.

Já falamos muito por aqui sobre a Síndrome de Asperger que nos dias atuais é denominada como sendo o grau mais leve do autismo e pode ser denominada como simplesmente TEA, que é a abreviatura para Transtornos do Espectro do Autismo.

Uma pessoa Asperger é um autista de alto desempenho e pode ter uma vida “normal” por conta de ter um desenvolvimento considerado adequado e em muitos os casos até acima da média da população em geral.

Suas principais dificuldades podem ser resumidas por uma “deficiência” na interação social e ainda em sua funções motoras, visto que muitos indivíduos que tem o Asperger, tendem a terem alguma dificuldade em sua coordenação motora.

O diagnostico para essa síndrome é de difícil alcance, isso porque a mesma não é um “problema” tão conhecido pela população como um todo e são poucos os profissionais que acabam se profissionalizando neste sentido.

O diagnostico também se torna complexo, devido a dificuldades de identificação do transtorno, que por vezes pode ser confundido com outro problema qualquer.

Geralmente a maioria dos indivíduos que sofram com o Asperger, passam toda a sua vida, sem ter o diagnostico confirmado.

Porém existem casos, nos quais o diagnostico é alcançado, mas os familiares do indivíduo se recusam a aceita-lo.

Isso porque nos dias atuais o “autismo” ainda é visto pela sociedade com olhos preconceituosos, nos quais as pessoas acreditam que essas pessoas são seres incapazes e que nunca poderão ter uma vida totalmente independente.

Em outras palavras, boa parte da sociedade considera uma pessoa autista, como sendo um “retardado”, “louco”, ou algo deste gênero.

E é exatamente por conta deste motivo, que muitos familiares se negam a acreditar que o seu filho, sofra com o Asperger. Mesmo que os especialistas responsáveis pelo diagnostico, expliquem mais sobre o autismo esses se recusam a acreditar naquele diagnostico.

E com isso quem acaba sendo afetado é o indivíduo que sofra com o Asperger, pois ele esta perdendo a chance de conseguir um “tratamento” que possa contribuir para que sua vida seja um pouco menos “difícil”, visto que estes indivíduos terão  que enfrentar diversos desafios ao longo de suas jornadas.

Desafios esses que já foram abordados ao extremo aqui neste blog. Uma coisa é certa nisso tudo, caso seu filho, ou parente próximo tenha sido diagnosticado como um “portador” do Asperger, não pense em todos os estereótipos que a sociedade pode o enquadrar.

Mas pense somente nele mesmo, com ajuda de profissionais qualificados para um tratamento adequado, a vida dos familiares e do próprio Asperger tende a ser bem mais simples.

Quanto ao preconceito, este esta longe de ser exterminado, mas vale aquele velho ditado “Quem é você para julgar a minha vida. Você paga minhas contas?”.

« »