BREAKING NEWS

Como são as crises sofridas por um Asperger?

Foto: Reprodução

Neste artigo vamos abordar um dos assuntos que mais preocupam os familiares de pessoas que tenham a Síndrome de Asperger, ou ainda quaisquer outro transtorno que seja parte dos Transtornos do Espectro do Autismo (TEA).

Iremos falar sobre as crises que por vezes são sofridas por esses indivíduos e que acabam “assustando” os familiares por não saberem bem como lidar com aquela situação.

Essas “crises” geralmente ocorrem quando o Asperger esta passando por uma situação muito estressante, ou ainda quando estes ficam chateados com algo.

Ou simplesmente por ser hiper estimuladas, que em outras palavras, seria serem colocados sob “pressão”.

Essas crises por vezes podem ser perigosas para o indivíduo e muito “assustadora” para os pais, ou ainda para aqueles que estiverem por perto no momento em que esse “ataque” esta acontecendo.

Nestas crises o Asperger tende a ficar muito agitado e geralmente apresenta um “mix de emoções”, podendo se sentir com medo, confuso, frustrado, ou ainda perturbado.

Isso geralmente acontece nos casos onde o indivíduo deixou de realizar algo que para ele é de grande importância (Um de seus hiperfocos, por exemplo).

Ou ainda quando esta sob “pressão” para realizar alguma tarefa que esteja tendo dificuldades em executar, ou também por estar estressado por ir a algum lugar, do qual não se sinta totalmente “confortável”.

Geralmente nestas crises, o Asperger tende a ter sintomas de ansiedade e é bem comum, apresentarem crises de falta de ar, crises de choro repentina, dores na caixa toráxica na região do coração e pulmões, e uma grande sensação de desconforto total que os deixa bem “desorientados” e fora de si.

Podem acabar dizendo coisas pelas quais  não tem controle e que podem magoar aqueles que estiverem por perto.

Isso acaba acontecendo, pois naquele momento o indivíduo esta sob “surto” e não sabe bem aquilo que esta dizendo, e assim pode se arrepender mais tarde.

Com tudo isso citado acima, cabe aos familiares buscarem compreender da melhor forma possível este difícil momento do Asperger e procurar tentar acalmar o mesmo. Para que assim, ele volte a seu estado “normal”.

Por vezes o necessário nestes casos são somente palavras positivas e ditas com grande calma e clareza, para que assim o indivíduo se sinta “seguro” e se acalme.

Em outros casos um abraço também pode ser bem vindo, este ato ajuda muito a controlar os sintomas da ansiedade, mas deve ser usado somente se o indivíduo o aceitar bem, pois caso contrário pode piorar ainda mais a crise sofrida naquele momento.

Uma coisa é certa, nestas crises sofridas pelo Asperger não é somente ele que precisa se acalmar, mas quem esta a sua volta também.

Com os pais, ou familiares mantendo o controle da situação,estas crises podem ser contidas de formas mais eficazes e ocorrerem com menor frequência.

Ajude-me a publicar meu primeiro livro que narra uma historia que é inspirada neste mundo “peculiar” do Asperger e que mostra como é que esses indivíduos, podem ser muito importantes em nossas vidas e ainda como que “coisas simples”, fazem total diferença em nosso dia a dia.

AJUDE O LIVRO O ANTISSOCIAL:

http://catarse.me/livrooantissocial

« »
3 Comments

    Adelita

    julho 14, 2017 at 12:43 pm

    Perfeita essa matéria. Nesse momento de crise a família ou quem estiver por perto precisa manter muita calma. Meu filho já teve algumas crises desse tipo. Hoje ja consigo lidar com mais calma. As primeiras eu me sentia perdida. Chorava e me desesperava. Agora consigo ajudar meu filho com palavras positivas, oferecendo o abraço. Tem funcionado. Abraços!

    Mãe de Ju

    julho 14, 2017 at 12:43 pm

    Tentar acalmar justificando ou esclarecendo os fatos não ajuda em nada. Nestes momentos, falar pouco, pausadamente, mostrando calma, apoio e dando colo e aconchego é o que mais surte efeito. Porque, em crise, a criança nao raciocina, só enxerga as frustracoes e nega tudo o que for dito de incentivo. Abraço, amor e demonstracao de apoio é o ideal e o caminho que nos ajuda a passar por estes momentos. Para os pais, desestrutura e gera um sentimento de impotência, mas tudo passa quando se tem amor.

    CHRISTINA AMARAL

    julho 16, 2017 at 12:43 pm

    Mãe do Fábio..
    Fabio tem 11 anos . E a 1 ano tem mostrado tics, ansiedade compulsiva, choro fácil, disperso as x, Fabio é um menino muito educado tirá boas notas na escola.. E eu ainda não procurei ajuda profissional por achar q seria uma fase.. ele sempre aparece com uns movimentos compulsivos involuntários.. hj resolvi procurar sobre isso. E procura ajuda…